jueves, abril 3

Ao lado do rio, eu caminho. Por algumas dessas estradas já andamos juntos. Por muitas outras, meu desejo é desbravar. Ainda não sei qual a forma de garantir, se é que há. Meu coração se desnuda contigo, é verdade. Ficar pelada nunca foi um problema. Não pelo menos até alguém dizer que poderia ser vergonhoso. Ao lado do mar, eu também caminho. A areia é minha cama de deitar os pés. O seu colo é meu travesseiro de beijar. Se o medo ainda persiste, a culpa pode ser do relógio e das horas. Claro. Mas também pode ser minha e de você. Meu formato não tem cabido nessa vida. Ou a vida que não tem cabido em mim. Ao lado de mim mesma, caminho e corro e fujo. Me joguei na ponte que ligava meus próprios abismos, sem calcular velocidade nem direção. A adultez me surpreende como um mal avassalador. Não tem cuidado, nem medida. Só vem. PÁM. Na cara. Ao lado da cara, colo a minha. Estar mergulhada nos lençóis contigo é ter um tanto de paz. Afundar um sorriso no seu peito, perder o fôlego, de propósito. Desnuda ou vestida, pouco importa. Sempre tô transparente pra você.

martes, julio 23

Sabe a melhor coisa

De namorar com você?

é poder beijar a pessoa que amo.

por isso, que
de vez em quando
eu fico dando umas risadinhas.

É felicidade, meu amor.

jueves, febrero 21

Estou aqui ouvindo uma poetisa portuguesa e me bateu lá no fundo, no mais fundo da encheção de saco da minha têpêême. E deu vontade de voltar aqui e falar um pouco sobre essa incompreensão própria que tô sofrendo. Não consigo saber se é por sua causa ou por minha. Se é porque não tem e-mail novo na caixa ou se porque compreendo que estejas a trabalhar. Se é porque os hormônios me assustam e me deixam quase catatônica. Se porque ontem, quando senti faltar o ar, deixei sentir e não tive medo. Vai saber, eu nunca consigo saber no final. Essas coisas que me acontecem, as coisas que nos acontecem, nos atravessam, nos perturbam. Vai ver eu só precisava voltar a escrever, porque as palavras sempre ajudaram muito, mas fiquei de mal delas durante muito tempo. Nem sei porquê raios. É muito esquisito, tá tudo muito esquisito. Existe chá que tire esse bode? Por favor, duas xícaras.